terça-feira, 23 de agosto de 2011

Eu penso ser Geógrafa!


Resolvi ser na vida... o que a vida quiser.
Não deu certo ser cantora, meu canto é desafinado. Poderia eu ser viajante, mas criei raízes neste lugar, me apaixonei pelas pessoas. Ainda algumas vezes passa em mente a ideia de lecionar, acho que não é uma boa ideia, mal sei de mim... então como eu poderia ensinar? Mas deixa estar que eu serei o que a vida quiser. Posso até ser boêmia, das noites mornas de lua não muito cheia... beber os poemas, escrever novos vinhos, dançar a música daqueles que ainda não sabem o que irão ser. Acho uma boa a boemia. 
Mas o que eu gosto mesmo é de querer saber das coisas, é de falar com as pessoas, sentir o cheiro da vida que brota do chão, e como este chão que piso agora se formou. Eu gosto mesmo é de tocar nas coisas, do sol e do vento no meu rosto, da chuva enquanto eu corro do frio. Gosto de andar, correr se necessário... das trilhas da vida. Eu gosto mesmo de falar, de opinar sobre coisas do meu lugar, e de ver como este lugar se transforma a cada dia mais. Por isso penso em ser Geógrafa, talvez até faça faculdade de Geografia um dia.
Foi isso que a vida quis de mim, eu aceitei. Porque eu quero conhecer o mundo. 

Tainná Vieira

2 comentários:

Elmo da Vinci Zaratustra disse...

"[...] Mas deixa estar que eu serei o que a vida quiser. Posso até ser boêmia, das noites mornas de lua não muito cheia... beber os poemas, escrever novos vinhos, dançar a música daqueles que ainda não sabem o que irão ser. Acho uma boa a boemia.
[...]"

(Sem comentários)

Luana Caroline disse...

Coisa linda *-*

Postar um comentário