domingo, 12 de setembro de 2010

Camera lenta.


Seria apenas uma lágrima triste, se não caísse tão devagar.
Seria apenas um simples olhar, se não piscasse tão devagar.
Seria apenas um sorriso frio, se não se abrisse tão devagar.

Tudo tão simples, tudo tão visto, mas tudo tão devagar...

A terra que gira tão devagar,
e o seu giro em torno do sol ainda mais devagar.
Nem tudo é tão vagoroso assim, porém é assim que sinto,
por muitas vezes me achar viver
em camera lenta!


Tainná Vieira

1 comentários:

Joaquim disse...

Alma poética é uma qualidade singular. Meus parabéns, você é excepcional.

Postar um comentário